sábado, 8 de janeiro de 2011

Como um Copo Descartável


Como temos vivenciado nossos relacionamentos interpessoais?

Será que temos seguido o ensinamento que Jesus Cristo nos deixou:

"Dou-vos um novo mandamento: Amai-vos uns aos outros. Como eu vos tenho amado, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros". (Jo 13, 34)

Em uma sociedade cada vez mais individualista, um dos valores mais importantes é ser Feliz. Não há problemas em ser feliz! Felicidade é uma dádiva de Deus!

O problema é quando a busca pela felicidade ultrapassa as barreiras e quando não interessa mais se teremos que pisar em alguém ou descartar das nossas vidas aquele que não mais satisfaz nossos desejos.

É a cultura do descartável que predomina em nossa sociedade; usei e já não quero mais!
É como falar: "Você me foi útil um dia, mas agora não preciso mais de você. Você não me oferece mais o que quero, não me é mais útil..."

Essa conduta está presente nos relacionamentos amorosos, nas amizades, no ambiente de trabalho, na escola...

Se damos tanta importância à nós mesmos, ao que queremos e somos; porque menosprezar o outro que é um ser humano igualmente à nós?

Qual a distinção entre mim e você?
Porque achar que um mendigo é menos que você? Ou que aquele gari é menos? Só porque não tem a escolaridade a que você teve acesso?

Somos TODOS Filhos de um mesmo PAI! 
E igualmente somos amados por Ele!

Não temos o direito de usar as pessoas. Nela habita o mesmo Deus que em você habita!

Recordo-me de uma homilia do Pe. Carlos quando eu e meu esposo estávamos fazendo ainda o curso de noivos, há um pouco mais de quatro anos.

Ele contou-nos durante a homilia a história da sua irmã. Ela havia casado há alguns anos e era muito feliz em seu casamento. Ela e seu esposo se amavam bastante. Mas, os imprevistos acontecem na vida de todos nós...

E um dia o esposo dele sofreu um acidente de carro e de repente se viu em uma cadeira de rodas. Dali em diante aquele seria seu meio de locomoção. Ele havia ficado paraplégico.

A vida dela juntamente com aquele acidente seria transformada. Ela teria que cuidar dele como uma mãe cuida de um filho. Ajudá-lo a comer, tomar banho... pelo menos até ele ir se recuperando.

Ela naquele momento poderia ter sido completamente egoísta, ter pensado em si, afinal, ela era bonita, jovem, tinha uma vida inteira pela frente. Era fácil, ela poderia ter colocado um ponto final naquela relação e seguir a vida dela.

Mas essa não foi a decisão dela! Ela com todo amor que sentia por ele e seu amor cristão também, sabendo de sua missão como esposa e lembrando-se dos votos que fizera à Deus no altar de Sua casa, disse seu sim mais uma vez!

E foram felizes como antes. Reaprenderam algumas coisas juntos, adaptaram outras... Fizeram o possível, pois, se amavam verdadeiramente.

Quando amamos, queremos cuidar. Quem ama, cuida...

E nós como irmãos, devemos amar uns aos outros com o amor Ágape. Com o amor que Jesus nos deixou. Devemos cuidar uns dos outros no amor, na caridade.

Que o Senhor possa nos fazer enxergar que como irmãos somos todos importantes aos olhos do Pai; e que não há ninguém melhor que ninguém. Que possamos ter olhos de misericórdia para com aqueles que mais necessitam de nossa ajuda. E que não cometamos o erro de menosprezar ou fazer descaso com todas as pessoas que trilharem nossos caminhos.


Amém!

Fernanda Rocha. 

2 comentários:

Carol Evangelista disse...

Olá Fernanda recebi seu comentário falando a respeito dos selos.
Onde estão? =)
Fico lisongeada por saber que o meu blog te agrada!
O seu é um cantinho abençoado!

Fernanda Rocha disse...

Olá Carol!

Segue o link do post onde estão os selinhos em meu blog:

http://boanovajesus.blogspot.com/2010/12/presentes-para-o-blog.html

Vc merece!

Beijinhos e fica com Deus!