sábado, 27 de novembro de 2010

Férias


Apesar da minha ausência no blog nos últimos dias (problemas no computador) e ter voltado a realizar publicações somente ontem, não  publicarei posts com muita frequência nos próximos dias.

Estarei de férias e aproveitarei para viajar e reunir as pessoas que mais amo nesse mundo: minha família amada. Família é uma dádiva de Deus! 

Obrigada, Senhor!

Na medida do possível vou atualizando o blog.


Fiquem na graça do Senhor e que a Mãe vos proteja com Seu manto!


Amém!

Fernanda Rocha.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Dependência de Jesus


Meus queridos amigos, como é bom estar de volta nesse cantinho que é tão especial para mim... Um presente de Deus na minha vida... Obra d'Ele...
Tudo o que é feito para honra e glória do nome do Nosso Senhor nos traz verdadeira felicidade...
Jesus é a verdade, o caminho e a vida... A verdadeira felicidade de nossas vidas...

Nesses dias que fiquei sem meu computador e sem acesso à internet aproveitei alguns momentos para fazer uma reflexão sobre isso mesmo: a nossa dependência pela tecnologia, pelas coisas impostas pelo mundo.

Há um tempo não nos eram disponibilizadas algumas ferramentas tecnológicas e nós éramos capazes de vivermos nossas vidas em plenitude.
Hoje a maioria das pessoas não consegue viver sem seus mp4, laptops, sem acesso à internet...

Me responde com sinceridade:
Se você já saiu de casa e está a caminho da parada de ônibus, ou se já desceu as escadas do seu prédio e percebe que esqueceu seu telefone celular em casa, você volta para buscá-lo? Provavelmente sim... Eu já voltei!

Quantas pessoas que dizem perder o rumo se por um dia sequer não acessarem a internet. Muitas adoecem! Já ouvi o relato de uma pessoa famosa na Tv falando do seu sofrimento quando houve um apagão por algumas horas e ele teve que sair de casa para não surtar! Foi atrás de amigos para não ficar em casa sem ter nada para fazer. Não suportava ficar só...
Estamos dependentes da tecnologia que nos é ofertada. Uns mais, outros menos.

Não estou criticando, apenas fazendo uma reflexão. Cada qual sabe dos seus limites e necessidades...

Mas...

E se fossemos dependentes do amor de Deus como somos de todas essas ferramentas?

Se nos déssemos conta de que esquecemos nosso terço ou Bíblia em casa e voltássemos para buscar imediatamente?

Se quando nos deitássemos tão cansados do fardo do nosso dia, nos lembrássemos de agradecermos à Deus por aquele dia e por termos uma cama confortável e pessoas tão queridas que nos recebem diariamente em nossas casas repletas de amor?

E se ao invés de assistirmos ao futebol no domingo à tarde ou irmos ao cinema, deixássemos tudo isso para ir Santa Missa ou aos encontros na nossa Igreja?

As coisas de Deus têm sido deixadas muito para trás.
Primeiro vem o trabalho, a televisão, a internet, os passeios nos finais de semana e Deus vai ficando para depois.

Temos que compreender que sem Deus nada somos... Ele é o Senhor das nossas vidas!
Se hoje você está vivo, tem seu trabalho, tem sua família linda; tudo isso é obra do nosso Senhor!  Então nada mais justo que colocá-Lo em primeiro lugar em nossas vidas!


Senhor, quero depender de Ti de todo meu coração. Anseio a Tua presença na minha e na vida da minha família. Senhor vem sobre nós! Reinflama nossos corações! Reanima a Tua Igreja! Que possamos buscá-Lo todos os dias e que o Senhor seja para todo sempre o Senhor das nossas vidas; nosso bom pastor e melhor amigo.


Amém!

Fernanda Rocha.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Motivo Ausência...



Aff! Que saudade dos meus amigos de caminhada e desse espaço que é tão especial para mim... Muitos devem estar estranhando o porque de eu não estar postando novas publicações no blog, eu explico. Há quase duas semanas meu querido computador fez-me a gentileza de não ligar mais. E desde então, está no conserto.

Hoje resolvi dar uma passada na lanhouse perto de casa e deixar uma mensagem explicativa, afinal, vocês merecem! São sempre tão carinhosos e atenciosos comigo... E estamos juntos nessa longa e árdua caminhada que nos leva ao Pai...

Escrever em lanhouse é complicado...
Gosto de orar, ouvir músicas católicas e estar em comunhão com Deus ao escrever... Como fazer isso aqui? Rs

Assim que tiver meu computador funcionando direitinho (acredito que até quarta-feira, se Deus quiser!) volto a escrever aqui no blog.

A paz de Cristo!
Um beijo à todos.

Fernanda Rocha.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Historinha - Ernani


Certa vez, trabalhei em uma pequena empresa de Engenharia. Foi lá que fiquei conhecendo um rapaz chamado Mauro. Ele era grandalhão e gostava de fazer brincadeiras com os outros, sempre pregando pequenas peças. Havia também o Ernani, que era um pouco mais velho que o resto do grupo. Sempre quieto, inofensivo, à parte, Ernani costumava comer o seu lanche sozinho, num canto da sala. Ele não participava das brincadeiras que fazíamos após o almoço, sendo que, ao terminar a refeição, sempre sentava sozinho debaixo de uma árvore mais distante.

Devido a esse seu comportamento, Ernani era o alvo natural das brincadeiras e piadas do grupo. Ora ele encontrava um sapo na marmita, ora um rato morto em seu chapéu. E o que achávamos mais incrível é que ele sempre aceitava aquilo sem ficar bravo.

Em um feriado prolongado, Mauro resolveu ir pescar no Pantanal. Antes, nos prometeu que, se conseguisse sucesso, iria dar um pouco do resultado da pesca para cada um de nós.

No seu retorno, ficamos todos muito animados quando vimos que ele havia pescado alguns dourados enormes. Mauro, entretanto, levou-nos para um canto e nos disse que tinha preparado uma boa peça para aplicar no Ernani.

Mauro dividira os dourados, fazendo pacotes com uma boa porção para cada um de nós.

Mas, a 'peça' programada era que ele havia separado os restos dos peixes num pacote maior, à parte.

- Vai ser muito engraçado quando o Ernani desembrulhar esse 'presente' e encontrar espinhas, peles e vísceras! - disse-nos Mauro, que já estava se divertindo com aquilo.

Mauro então distribuiu os pacotes no horário do almoço.

Cada um de nós, que ia abrindo o seu pacote contendo uma bela porção de peixe, então dizia: - Obrigado!

Mas o maior pacote de todos, ele deixou por último.

Era para o Ernani.

Todos nós já estávamos quase explodindo de vontade de rir, sendo que Mauro exibia um ar especial, de grande satisfação. Como sempre, Ernani estava sentado sozinho, no lado mais afastado da grande mesa.

Mauro então levou o pacote para perto dele, e todos ficamos na expectativa do que estava para acontecer.

Ernani não era o tipo de muitas palavras. Ele falava tão pouco que, muitas vezes, nem se percebia que ele estava por perto. Em três anos, ele provavelmente não tinha dito nem cem palavras ao todo.

Por isso, o que aconteceu a seguir nos pegou de surpresa.

Ele pegou o pacote firmemente nas mãos e o levantou devagar, com um grande sorriso no rosto. Foi então que notamos que seus olhos estavam brilhando.
Por alguns momentos, o seu pomo de Adão se moveu para cima e para baixo, até ele conseguir controlar sua emoção.

- Eu sabia que você não ia se esquecer de mim! - disse com a voz embargada. Eu sabia, você é grandalhão e gosta de fazer brincadeiras, mas sempre soube que você tem um bom coração.

Ele engoliu em seco novamente, e continuou falando, dessa vez para todos nós.

- Eu sei que não tenho sido muito participativo com vocês, mas nunca foi por má intenção.

- Sabem... Eu tenho cinco filhos em casa, e uma esposa inválida, que há quatro anos está presa na cama. E estou ciente de que ela nunca mais vai melhorar.
Às vezes, quando ela passa mal, eu tenho que ficar a noite inteira acordado, cuidando dela. E a maior parte do meu salário tem sido para os seus médicos e os remédios.

As crianças fazem o que podem para ajudar, mas tem sido difícil colocar comida para todos na mesa.

Vocês talvez achem esquisito que eu vá comer o meu almoço sozinho, num canto... Bem, é que eu fico meio envergonhado, porque na maioria das vezes eu não tenho nada para pôr no meu sanduíche.

Ou, como hoje, eu tinha somente uma batata na minha marmita.

Mas eu quero que saibam que essa porção de peixe representa, realmente, muito para mim. Provavelmente muito mais do que para qualquer um de vocês, porque hoje à noite os meus filhos...

Ele limpou as lágrimas dos olhos com as costas das mãos.

- Hoje à noite os meus filhos vão ter, realmente, depois de alguns anos... e ele começou a abrir o pacote...

Nós tínhamos estado prestando tanta atenção no Ernani, enquanto ele falava, que nem havíamos notado a reação do Mauro.

Mas agora, todos percebemos a sua aflição quando ele saltou e tentou pegar o pacote das mãos do Ernani. Mas era tarde demais.

Ernani já tinha aberto e pacote e estava, agora, examinando cada pedaço de espinha, cada porção de pele e de vísceras, levantando cada rabo de peixe.

Era para ter sido tão engraçado, mas ninguém riu. Todos nós ficamos olhando para baixo. E a pior parte foi quando Ernani, tentando sorrir, falou a mesma coisa que todos nós havíamos dito anteriormente: Obrigado!

Em silêncio, um a um, cada um dos colegas pegou o seu pacote e o colocou na frente do Ernani, porque depois de muitos anos nós havíamos, de repente, entendido quem era realmente o Ernani.

Uma semana depois, a esposa de Ernani faleceu.

Cada um de nós, daquele grupo, passou então a ajudar as cinco crianças.

Graças ao grande espírito de luta que elas possuíam, todas progrediram muito: Carlinhos, o mais novo, tornou-se um importante médico. Fernanda, Paula e Luisa montaram o seu próprio e bem-sucedido negócio: elas produzem e vendem doces e salgados para padarias e supermercados. O mais velho, Ernani Júnior, formou-se em Engenharia; sendo que, hoje, é o Diretor Geral da mesma empresa em que eu, Ernani e os nossos colegas trabalhávamos.

Mauro, hoje aposentado, continua fazendo brincadeiras; entretanto, são de um tipo muito diferente: ele organizou nove grupos de voluntários que distribuem brinquedos para crianças hospitalizadas e as entretêm com jogos, estórias e outros divertimentos.

Às vezes, convivemos por muitos anos com uma pessoa, para só então percebermos que mal a conhecemos. Nunca lhe demos a devida atenção; não demonstramos qualquer interesse pelas coisas dela; ignoramos suas ansiedades ou seus problemas. Que possamos manter sempre vivo, em nossas mentes, o ensinamento de Jesus Cristo:

Como Eu vos amei, amai-vos também uns aos outros.  (João 13,34)

Repasso a história de Ernani, para que vejamos se não somos um pouco como Mauro e seus companheiros. Se formos... por favor, há tempo de mudar sem dor.

 
Que Jesus nos dê a graça de pararmos de olhar para nossos próprios umbigos, para que possamos enxergar verdadeiramente o nosso próximo. E que sejamos capazes de estender nossas mãos aos mais necessitados, devolvendo-lhes a dignidade.
 
Amém!
 
Fernanda Rocha.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Leituras da Semana


Desde seus primórdios, a Igreja cristã propôs a seus fiéis ritmos de oração destinados a uma progressão contínua. Assim, o Ano Litúrgico revive em nós a realidade do Mistério de Cristo.
O Ano Litúrgico é, portanto, um calendário religioso que contém as datas dos acontecimentos da História da Salvação.

De acordo com esse calendário religioso, confira abaixo as leituras propostas pela Igreja para essa semana (Solenidade de Todos os Santos).

Seg.: Tt 1, 1-9; Sl 23; Lc 17, 1-6
Ter.: Ez 47, 1-2. 8-9.12 ou 1Cor 3, 9-11. 16-17; Sl 45; Jo 2, 13-22
Qua.: Tt 3, 1-7; Sl 22; Lc 17, 11-19
Qui.: Fm 7-20; Sl 145; Lc 17, 20-25
Sex.: 2Jo 4-9; Sl 118; Lc 17, 26-37
Sáb.: 3Jo 5-8; Sl 111; Lc 18, 1-8

Fonte: Folha Semanal da Arquidiocese de Brasília n° 56

Amém!

Fernanda Rocha.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Saudade...


(Missing you = Sentindo sua falta)

Todos nós em nossas vidas já passamos pela dor de perder um ente querido. A tristeza inicial é comum, mas, deve ser amadurecida com o tempo e se transformar em Saudade.

A saudade remete ao amor; à doce lembrança de alguém que foi especial para nós e que continua em nossos corações em lindas e saudosas recordações...
Saudade é algo saudável.

Quando sofremos o falecimento de alguém por um longo período e não conseguimos transformar a dor em saudade, sofremos muito e não deixamos quem  amamos em paz. Precisamos consolar nossos corações e encarar a situação com mais naturalidade.

Algumas vezes a morte não está relacionada à vontade de Deus, mas, à Sua permissão. Como tudo em nossas vidas...
"O salário do pecado é a morte". (Rm 6, 23)
Então não podemos colocar toda responsabilidade nas mãos do Senhor... Muitas vezes nós mesmos decidimos nossos rumos de acordo com nossas atitudes, com o que plantamos...

Então, não culpe à Deus pelo falecimento do seu ente querido!
Peça perdão à Deus se algum dia você O culpou.

Não fique remoendo a dor dentro de você! Em vez disso, libere quem você ama para a vida plena em Cristo. Ore pela alma da pessoa; peça a misericórdia d'Ele para que ela esteja ao lado de nosso Senhor e para que sua alma descanse em paz.

Aqui é apenas uma passagem.
Nosso lugar é o céu; de lá viemos e para lá retornaremos.
Um dia teremos a graça de retomarmos à casa do Pai e esse momento será mágico. Poder estar diante de Jesus... Que magnífico!

"Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna".  (Jo 3, 16)

Que nossos entes queridos possam estar junto à Deus desfrutando da vida eterna e que Deus nos dê sabedoria para lidarmos com nossas perdas afetivas, enquanto trilhamos o caminho da salvação enquanto vivos.

Amém!

Fernanda Rocha. 

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Leituras da Semana


Desde seus primórdios, a Igreja cristã propôs a seus fiéis ritmos de oração destinados a uma progressão contínua. Assim, o Ano Litúrgico revive em nós a realidade do Mistério de Cristo.
O Ano Litúrgico é, portanto, um calendário religioso que contém as datas dos acontecimentos da História da Salvação.

De acordo com esse calendário religioso, confira abaixo as leituras propostas pela Igreja para essa semana (31ª Semana do Tempo Comum).

Seg.: Fl 2, 1-4; Sl 130; Lc 14, 12-14
Ter.: Com. de todos os fiéis defuntos;
Qua.: Fl 2, 12-18; Sl 26; Lc 14, 25-33
Qui.: Fl 3, 3-8; Sl 104; Lc 15, 1-10
Sex.: Fl 3, 17 - 4,1; Sl 121; Lc 16, 1-8
Sáb.: Fl 4, 10-19; Sl 111; Lc 16, 9-15

Fonte: Folha Semanal da Arquidiocese de Brasília n° 55


Amém!

Fernanda Rocha.