segunda-feira, 22 de junho de 2009

Vida em Cristo


Vamos meditar em cima da segunda leitura de ontem:

"O amor de Cristo nos constrange, considerando que, se um só morreu por todos, logo todos morreram. Sim, ele morreu por todos, a fim de que os que vivem já não vivam para si, mas para aquele que por eles morreu e ressurgiu.

Por isso, nós daqui em diante a ninguem conhecemos de um modo humano. Muito embora tenhamos considerado Cristo dessa maneira, agora já não o julgamos dessa maneira. Todo aquele que está em Cristo é uma nova criatura. Passou o que era velho; eis que tudo se fez novo!" (II Coríntios 5, 14-17).

Essa palavra é muito clara. Deus através de Seu imenso amor nos deixa tão explícito o caminho que devemos trilhar em nossas vidas.

Será que estamos trilhando esse caminho rumo à santidade? Quando pergunto isso à você, me insiro também.

Irmãos, somos Filhos do Céu e não criaturas dessa Terra. Não somos do mundo, somos do céu!

E como filhos do céu, devemos viver como tais. Não podemos nos rastejar no mundo da hipocresia, coléras, pestes e pecados.

Jesus morreu por nós para que tenhamos vida e vida em abundância.

Você está vivendo sua vida de acordo com os desígnos de Deus?

Jesus deu Sua vida por você! E o que você faz em troca de todo esse amor?

Você tem retribuido o amor de Deus? Tem ido à missa, rezado o terço, tem louvado à Deus? Tem acreditado com esperañça que após a tempestade vem a bonança em sua vida?

Quem tem a Deus, tem TUDO!

A verdadeira riqueza está em Deus e em Seu amor.

Viva esse amor de Deus. Ame mais à Deus. Se sacrifique por Ele.

Se seu dia é atribulado e quase não tem tempo para orar, faça um esforço, um sacrifício, arrume um tempo. Ao invés de ver uma novela a noite, vá ao seu quarto e ore o santo terço. Faço algo que irá agradar ao Senhor.

Quando escrevo aqui, sou o instrumento do Espírito Santo de Deus e sou usada por Ele. Não escrevo por mérito meu, ou, para julgar a atitude de ninguém.

O Senhor também me cobra essa postura.

Senhor que possamos ser fortalecidos pela Tuas mãos a seguir o Teu caminho, Tua vontade e que Teu nome seja palavra doce em nossas bocas e corações.

Amém.


Fernanda Rocha.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

BODAS



Gostaria de aproveitar esse espaço no blog para falar de amor. Afinal Deus é amor e o matrimônio é um sacramento de Deus.

A vocação para o matromônio é um chamado de Deus.

Assim como temos outras vocações dentro da igreja, como o sacerdócio, Deus nos chama a partilhar a vocação para o matrimônio.

E quando essa união vem de Deus, vem do chamado de Deus para a vida do casal, o sacramento matrimonial acontece.

No altar, quem faz a celebração do matrimômio são os noivos, através de seus juramentos, confirmações e palavras. O padre está ali representando Deus, abençoando, confirmando e celebrando esse momento tão sagrado.

Vivemos hoje em um mundo que não vive esse amor de Deus. O amor de Deus precisa ser vivido dentro do casamento também.

Deus precisa ser o centro na vida do casal.

Assim o casamento será santo, livre de impurezas, cada vez mais será fortificado e o amor aumentará com a graça de Deus.

Hoje em especial é uma data muito importante, onde eu e meu amado esposo, celebramos mais um aniversário de casamento.

Senhor quero te agradecer por nos permitir mais esse ano juntos, agradecer por nossas Bodas. E dizer que sou imensamente grata por ter colocado meu amado esposo na minha Vida.

Amor, Você é meu Tudo.

Meu amado, meu companheiro, meu amigo, fonte da minha santificação...

EU TE AMO!!!

Obrigada Jesus.

Amém.

*Luzieldo, meu Amor, dedico essa música à você!

Fernanda Rocha



sábado, 13 de junho de 2009

13 de Junho - Dia de Santo Antônio



A VIDA DE SANTO ANTÔNIO:


Fernando de Bulhões (verdadeiro nome de Santo Antônio), nasceu em Lisboa em 15 de agosto de 1195, numa família de posses. Aos 15 anos entrou para um convento agostiniano, primeiro em Lisboa e depois em Coimbra, onde provavelmente se ordenou. Em 1220 trocou o nome para Antônio e ingressou na Ordem Franciscana, na esperança de, a exemplo dos mártires, pregar aos sarracenos no Marrocos. Após um ano de catequese nesse país, teve de deixá-lo devido a uma enfermidade e seguiu para a Itália. Indicado professor de teologia pelo próprio são Francisco de Assis, lecionou nas universidades de Bolonha, Toulouse, Montpellier, Puy-en-Velay e Pádua, adquirindo grande renome como orador sacro no sul da França e na Itália. Ficaram célebres os sermões que proferiu em Forli, Provença, Languedoc e Paris. Em todos esses lugares suas prédicas encontravam forte eco popular, pois lhe eram atribuídos feitos prodigiosos, o que contribuía para o crescimento de sua fama de santidade.A saúde sempre precária levou-o a recolher-se ao convento de Arcella, perto de Pádua, onde escreveu uma série de sermões para domingos e dias santificados, alguns dos quais seriam reunidos e publicados entre 1895 e 1913. Dentro da Ordem Franciscana, Antônio liderou um grupo que se insurgiu contra os abrandamentos introduzidos na regra pelo superior Elias.Após uma crise de hidropisia (Acúmulo patológico de líquido seroso no tecido celular ou em cavidades do corpo). Antônio morreu a caminho de Pádua em 13 de junho de 1231. Foi canonizado em 13 de maio de 1232 (apenas 11 meses depois de sua morte) pelo papa Gregório IX. A profundidade dos textos doutrinários de santo Antônio fez com que em 1946 o papa Pio XII o declarasse doutor da igreja. No entanto, o monge franciscano conhecido como santo Antônio de Pádua ou de Lisboa tem sido, ao longo dos séculos, objeto de grande devoção popular. Sua veneração é muito difundida nos países latinos, principalmente em Portugal e no Brasil. Padroeiro dos pobres e casamenteiro, é invocado também para o encontro de objetos perdidos. Sobre seu túmulo, em Pádua, foi construída a basílica a ele dedicada.


RESPONSÓRIO DE SANTO ANTÔNIO:

Se milagres desejais, Recorrei a Santo Antônio, Vereis fugir o demônio, E as tentações infernais.
Recupera-se o perdido, Rompe-se a dura prisão, E no auge do furacão Cede o mar embravecido.
Todos os males humanos Se moderam, se retiram, Digam-nos aqueles que o viram, E digam-nos os paduanos.
Repete-se: - Recupera-se o pedido, Rompe-se a dura prisão, E no auge do furacão Cede o mar embravecido.
Pela sua intercessão Foge a peste, o erro, a morte. O fraco torna-se forte E torna-se o enfermo são.
Repete-se: - Recupera-se o perdido, Rompe-se a dura prisão, E no auge do furacão Cede o mar embravecido.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.
V. - Rogai por nós, bem-aventuradoAntônio.R. - Para que sejamos dignos daspromessas de Cristo.


OREMOS: Ó Deus, nós vos suplicamos, que alegre à Vossa Igreja a solenidade votiva do bem-aventurado Antônio, vosso Confessor e Doutor, para que, fortalecida sempre com os espirituais auxílios, mereça gozar os prazeres eternos. Por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Amém.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Louvor


"Quereis cantar louvores a Deus? Sede vós mesmos o canto que ides cantar. Vós sereis o seu maior louvor, se viverdes santamente."

(Santo Agostinho)