sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Em Teu Aconchego


Debaixo da Tua proteção eu quero sempre estar
Sob o Teu altar Te adorar
Sentir-me abraçada na comunhão
Não há nada mais sublime não...

Aquece-me com o calor do sol
Resfria-me com uma deliciosa chuva
Tudo fruto das Tuas mãos
Querer absoluto e de profunda grandeza

A mesa farta
Gratidão
Mãos postas em oração

Pequeno milagre
Meu Maior milagre de Amor
Obra de Tuas mãos
e de Nossa Amada Mãe

Maria que acolhe
que abraça
que cuida
que leva aos céus
que trás do céus
as bençãos de Deus

Centro
Início e Fim
Nova vida
Novo Ser
Nova Família

De Ti
Eu quero sempre ser!

Amém!
Amo-te SENHOR!


Fernanda Rocha.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

"Pequenino" Milagre de Deus


Não que algumas mulheres não passem ou tenham já passado por isso, mas, nada como o aperto no peito de uma mãe ouvir que sua gravidez é de risco e que seu bebê pode nascer prematuro. E um bebê nascido pré-termo pode ter inúmeros problemas de saúde e até mesmo, dependendo da semana de nascimento, pode não sobreviver.

Pois bem, quando estava na 22ª semana de gestação, ou seja, com cinco meses e meio, esta foi a minha realidade. Por um problema no útero eu poderia ter um parto prematuro. Aliás, já estava com dilatação. Imagina um bebê com 465 gramas vir ao mundo naquele momento! Seus órgãos, ainda imaturos, estavam se desenvolvendo. Tamanha aflição tomou conta de meu coração naquele momento do anúncio da obstetra.

Só uma mãe consegue entender a dor que assombrou meu coração. Há tempos sonhava com a maternidade e, naquele momento, aquele ponto de interrogação, doeu profundamente. Veio a cirurgia de emergência e depois o repouso absoluto. Foram exatos três meses e oito dias deitada na minha cama em meu quarto. Nem à missa eu ia. Recebia a Sagrada Eucaristia em casa, aos domingos.

E Deus desde o início se fez presente, porque Ele é presente! E aos pouquinhos, de mansinho, Ele foi me acalmando. Mesmo sem saber se conseguiria levar minha gestação até o final, fui tendo o coração confortado dia após dia... E a fé é assim mesmo; confiar naquilo que ainda não se pode ver!

Como consegui sentir a presença de Deus? Na ORAÇÃO!

Passei a rezar o Santo Terço e o Terço da Misericórdia diariamente. Cada vez que rezava o Santo Terço com muita fé, sentia o abraço de Nossa Senhora a me envolver. Nos dias em que eu estava agitada, preocupada, ao final do Santo Terço meu coração descansava e a aflição passava.

E o Terço da Misericórdia fazia-me encontrar intimamente com Cristo, na hora da Sua agonia, da dor na cruz. Ele que sofreu uma dor incomensurável por nós. Colocava-me às 15h em profunda oração, aos pés da Cruz de Cristo e rezava minha intenção com todo fervor e fé. Ele mesmo disse que quem adora-O  e medita Sua Paixão às 15h alcança todas as graças pedidas, pelo Seu Amor.

E assim o fiz constantemente... E os dias foram passando. Cada dia era uma vitória para mim. Cada semana era comemorada. Era uma semana a mais em que meu bebê desenvolveu mais seus órgãos e a capacidade de uma vida extra uterina sem sequelas.

E para honra e glória de Jesus só entrei em real trabalho de parto na 37ª semana de gestação, onde não havia mais risco nenhum para meu filho! Ele já não era mais prematuro! Nossa Senhora, nossa Mãe, intercedeu por nós e Jesus Misericordioso me deu a graça de dar a luz ao meu príncipe em 12/08/2013 às 01h24. A madrugada mais linda e especial das nossas vidas...

Eu jamais teria conseguido sem as Mãos de Deus! Meu príncipe é obra das Mãos do Criador, do Seu desejo para conosco. E eu abraço essa obra de amor e serei eternamente grata ao meu Deus, cuja toda honra e glória são para Ele!

Portanto, jamais perca as esperanças em Deus! Ele também tudo pode em sua vida! Realize o possível, faça o que você pode fazer e deixe que Ele realize o impossível; e Ele fará! Creia! Tome posse da vitória porque ela já é sua!!!

Hoje, com a graça de DEUS, celebramos em nossa família um mês de vida do nosso amado filho. Repleto de saúde e das bênçãos de Deus... Motivo maior das nossas alegrias, das nossas vidas...

E como tudo valeu a pena. Cada dia, cada dor física e na alma. Cada oração; cada choro; cada dia de calmaria e plena confiança em Deus...

Sentir seu cheirinho, ouvir seu chorinho, propiciar-te o leite que te nutre e alimenta, não tem preço neste mundo, meu filho amado...

Obrigada por Tua Obra de Amor, Senhor!
JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!

Amém!!!

(Publicarei as orações do Santo Terço e Terço da Misericórdia posteriormente)

Fernanda Rocha.

sábado, 3 de agosto de 2013

O Verdadeiro Bebê Real


Como recentemente noticiado, no dia 22/07/2013, veio ao mundo o Bebê Real, filho do Príncipe William e Kate Middleton, duquesa de Cambridge; terceiro na linha sucessória do trono do Reino Unido. Kate contou com uma equipe especializada e deu à luz em um luxuoso hospital, onde o apartamento em que ficou internada custou nada menos que $21.000,00 a diária. Além de receber cuidados especiais, a família Real teve o privilégio de ter um chef de cozinha exclusivo cozinhando para eles. 


Podemos pensar: "Sim, mas ele será o futuro rei britânico! Merece todo luxo e glamour!"
Ou: "Mas se eles podem ter luxo todo, porque não ter?"


No dia seguinte ao acontecimento que foi notícia no mundo todo, um bebê foi encontrado em Itacaranha, subúrbio de Salvador - Brasil. A criança foi encontrada em uma caixa de papelão por volta das 21h, quando a viatura da polícia foi parada por moradores. O bebê de apenas 1.900 kg, recebeu o nome de Francisco em homenagem ao Papa que visitava o Brasil neste período durante a JMJ - Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro.

Frágil e pequenino, aparentava estar abandonado entre três e cinco dias e ainda tinha o cordão umbilical. Ele foi levado ao hospital onde ficou internado na UTI Neonatal até a noite de quinta-feira, dia 01/08.

E infelizmente ele não é um caso isolado... Muitos bebês, como ele, são abandonados, descartados por não terem o amor de suas mães.

Agora pergunto, qual desses dois bebês é mais importante?
O que atraiu mais holofotes da mídia?

Qual deles Deus ama mais?
Será que tem alguma diferença entre eles?

O pior que para nossa sociedade tem sim, muuuuita diferença entre eles. O pequeno príncipe George - nem tão pequeno assim, pois nasceu com 3.900 kg - em seus apenas 13 dias de vida já possui uma agenda lotada de compromissos, incluindo visita ao túmulo de sua avó, a princesa Diana. Vários estilistas famosos se renderam aos caprichos dos pais; e as lojas vibram com as vendas de produtos personalizados referente ao pequeno herdeiro ao trono.

A diferença entre eles é a ganância do ser humano em querer mais, em lucrar com as situações. Em bolar uma estratégia para ganhar mais e mais dinheiro. Eles comemoram não somente a chegada de uma criança ao mundo, mas a oportunidade de angariar mais fundos para seus negócios!

Exagero de minha parte? Não!
É só olharmos para o desespero das pessoas em se parecer com alguém! Primeiro o anel de noivado da Kate Middleton, depois o tão falado vestido de noiva... E por fim, o carrinho de bebê comprado pela realeza que se esgotou em todas as lojas após descobrirem a marca e modelo!

Até no Brasil a moda do anel de noivado de pedra azul de Kate foi parar nos camelos da 25 de março... E as mulheres enlouquecidas para ter um...

Enquanto isso, o Francisco, QUEM mesmo? Ah! O Papa!

Não! O bebê descartado na rua de Salvador... Sem regalia alguma tentava sobreviver na encubadora de um hospital público. Sem pai, sem mãe. Sem o amor de sua família; nem o calor do abraço da mãe e do seu leite... Esse pequeno guerreiro luta pela sobrevivência.

Mesmo que seus pais não o amem, Deus ama incondicionalmente o Francisco e cuida dele com Seu amor de Pai. E com muita fé, irá providenciar um lar abençoado para que ele possa com muito amor e com os valores de uma família, crescer e se tornar um grande homem.

E Deus os ama da mesma maneira...
Ambos são obras primas de Suas Mãos... São a perfeita criação de Deus...

E nós, seres humanos egoístas, muitas vezes não conseguimos enxergar a grandeza de Deus nos pequenos milagres da vida. Estamos muitas vezes presos ao poder, ao luxo, à satisfação de nossos desejos mais obscuros, à ganância e ao querer ser; e esquecemos das sutilezas da vida...

Desviamos o olhar ao irmão sujo que está a beira da nossa porta. Daquele que sofre com a falta de alimento. Daquele bebê ou criança jogada na rua, sem futuro, rumo e perspectivas... "Ah! O mundo é assim mesmo! Alguns nascem com o bumbum virado para lua, outros não... É uma questão de sorte!!!"

E assim vamos vivendo exacerbados em nossa própria arrogância, vivendo no nosso mundinho, fechados ao outro. E se ao término de nossas vidas estivermos rodeados de futilidades, dinheiro, sapatos caros, carros luxuosos, mas não tivermos ninguém que nos suporte ao nosso lado, não se assuste...

... Você pode, na velhice, ser como aquela criança abandonada nas ruas de Salvador.

Porque o dinheiro não compra amor, afeto, admiração. Pode até comprar "amigos", cervejas, noitadas.  Mas não compra o verdadeiro significado da palavra: AMOR.

Esse, só DEUS, independente do seu Louboutin ou chinelos velhos nos pés tem o poder de preencher e dar significado à sua vida...

Que possamos ser mais humildes e não querermos ser sempre mais. Que DEUS restaure em nós, o sentido do amor verdadeiro. Não o amor ao dinheiro.


Amém!

Fernanda Rocha.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

O Precioso Sangue de Cristo

O mês de julho a Igreja dedica ao preciosíssimo Sangue de Cristo, derramado pelo perdão dos nossos pecados.

O Sangue de Cristo representa a Sua Vida humana e divina, de valor infinito, oferecida à Justiça divina para o perdão dos pecados de todos os homens de todos os tempos e lugares. Quem for batizado e crer, como disse Jesus, será salvo (Mc 16,16) pelo Sangue de Cristo.
Em cada Santa Missa a Igreja renova, presentifica, atualiza e eterniza este Sacrifício de Cristo pela Redenção da humanidade. Em média, a cada quatro segundos essa oferta divina sobe ao Céu em todo o mundo.
O Catecismo da Igreja ensina que mesmo que o mais santo dos homens tivesse morrido na cruz, seria o seu sacrifício insuficiente para resgatar a humanidade das garras do demônio; era preciso um sacrifício humano, mas de valor infinito. Só Deus poderia oferecer este sacrifício; então, o Verbo divino, dignou-se assumir a nossa natureza humana, para oferecer a Deus um sacrifício de valor infinito. A majestade de Deus é infinita; e foi ofendida pelos pecados dos homens. Logo, só um sacrifício de valor infinito poderia restabelecer a paz entre a humanidade e Deus.
“Mas eis aqui uma prova brilhante de amor de Deus por nós: quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós.  Portanto, muito mais agora, que estamos justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira” (Rm 5,8-9).
São Pedro ensina que fomos resgatados pelo Sangue do Cordeiro de Deus, mediante “a aspersão do seu sangue” (1Pd 1, 2).
“Porque vós sabeis que não é por bens perecíveis, como a prata e o ouro, que tendes sido resgatados da vossa vã maneira de viver, recebida por tradição de vossos pais, mas pelo precioso sangue de Cristo, o Cordeiro imaculado e sem defeito algum, aquele que foi predestinado antes da criação do mundo.” (1Pe1,19)
Ao despedir dos bispos de Éfeso, em lágrimas, S.Paulo pede que cuidem do rebanho de Deus contra os hereges que já surgiam naquele tempo, porque este rebanho foi “adquirido com o seu Sangue” (At 20,28).
Para os judeus a vida estava no sangue (cf. Lv 11,17), e por isso eles não comiam o sangue dos animais; na verdade, a vida está na alma e não  no sangue; mas para eles o sangue tinha este significado. É muito interessante notar que no dia da Páscoa, a saída do povo judeu do Egito, naquela noite da morte dos primogênitos, Deus, segundo o entendimento do povo, mandou que este passasse o sangue do cordeiro imolado nos umbrais das portas para que o Anjo exterminador não causasse a morte do primogênito naquela casa.
Este sangue do cordeiro simbolizava e prefigurava o Sangue de Cristo, da Nova e Eterna Aliança que um dia seria celebrada no Calvário. É por isso que S.João Batista, o Precursor de Jesus, ao anunciá-lo aos judeus vai dizer: “Este é o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo” (Jo 1, 19).  É a missão de Cristo, ser o Cordeiro de Deus imolado por amor dos homens.
É este Sangue de Cristo que nos purifica de todo pecado:
“Se, porém, andamos na luz como ele mesmo está na luz, temos comunhão recíproca uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1Jo 1,7).
“Jesus Cristo, testemunha fiel, primogênito dentre os mortos e soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, que nos lavou de nossos pecados no seu Sangue  e que fez de nós um reino de sacerdotes para Deus e seu Pai, glória e poder pelos séculos dos séculos! Amém.” (Ap 1, 5)
“Cantavam um cântico novo, dizendo: Tu és digno de receber o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste imolado e resgataste para Deus, ao preço de teu Sangue, homens de toda tribo, língua, povo e raça; e deles fizeste para nosso Deus um reino de sacerdotes, que reinam sobre a terra” (Ap 5, 9-10).
Os mártires derramaram o seu sangue por Cristo, na força do seu Sangue:
“Mas estes venceram-no por causa do Sangue do Cordeiro e de seu eloqüente testemunho. Desprezaram a vida até aceitar a morte” (Ap 12, 11).
O Apocalipse ainda nos mostra que os santos lavaram as suas vestes (as almas) no Sangue de Cristo:
“Esses são os sobreviventes da grande tribulação; lavaram as suas vestes e as alvejaram no Sangue do Cordeiro” (Ap 7, 14).
Hoje esse Sangue redentor de Cristo está à nossa disposição de muitas maneiras. Em primeiro lugar pela fé; somos justificados por esse Sangue ensina S. Paulo:
“Mas eis aqui uma prova brilhante de amor de Deus por nós: quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós. Portanto, muito mais agora, que estamos justificados pelo seu Sangue, seremos por ele salvos da ira” (Rm 5, 8-9).
Ele está à nossa disposição também no Sacramento da Confissão; pelo ministério da Igreja e dos sacerdotes o Cristo nos perdoa dos pecados e lava a nossa alma com o seu precioso Sangue. Infelizmente muitos católicos ainda não entenderam a profundidade deste Sacramento e fogem dele por falta de fé ou de humildade. O Sangue de Cristo perdoa os nossos pecados na Confissão e cura as nossas enfermidades espirituais e psicológicas.
Este Sangue está presente na Eucaristia: Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus. Na Comunhão podemos ser lavados e inebriados pelo Sangue redentor do Cordeiro sem mancha que veio tirar o pecado de nossa alma. Mas é preciso parar para adorá-lo no Seu Corpo dado a nós. Infelizmente muitos ainda comungam mal, com pressa, sem Ação de Graças, sem permitir que o Sangue Real e divino lave a alma pecadora e doente.
Prof. Felipe Aquino

Amém!
Fernanda Rocha.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Nosso Dia... TE AMO!!!


Amado Meu, Meu eterno Amor,

Neste dia tão especial onde celebramos mais um ano de matrimônio, agradeço imensamente à Deus por te-lo colocado em meus caminhos. Nada é por acaso... Naquela festinha, há doze anos, nunca poderia imaginar que ali estaria o homem da minha vida... 

Homem este que me faz sentir especial e única; que mesmo sem declarações extravagantes, ama-me nos pequeninos gestos, cuidados e beijos... Ama-me no olhar... Comprando a Fanta Uva que eu amo e você não gosta, mas, toma sorrindo para me ver feliz...

Não há palavras para agradecer e dimensionar quão grande é meu amor por você!

Obrigada por estar sempre ao meu lado e cuidar de mim; por me fazer crescer a cada dia na vida e na fé; por enxugar as lágrimas quando elas aparecem em meu rosto e rir comigo das coisas mais simples e bobas da vida...

Obrigada por mais este ano juntos e pelo maior presente que poderíamos ganhar. Deus este ano nos presenteia de maneira especial e temos muito que agradecer pela graça de gerarmos nosso príncipe, que já é não somente tão amado por nós, mas, consagrado ao Sagrado Coração de Jesus e embalado no colo de Nossa Senhora...

Que estejamos sempre selados pelo Amor de Cristo e sejamos uma voz no deserto neste mundo descrente que se assim se apresenta! (Porque o matrimônio é um sacramento de Deus e vale muuuuuito a pena).



TE AMO!


Amém!!!

Fernanda Rocha.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Deus das Redes Sociais


Que tipo de fé você tem vivenciado em sua vida? Que tipo de Deus tem preenchido o seu coração?

Tem me assustado o número de pessoas que postam orações, pensamentos e dizeres cristãos nas redes sociais, mas, que caem em contradição muitas vezes, nas próprias mídias sociais. O que dizer o que não fazem fora dela!!!! Prefiro nem imaginar!

Determinado momento postam oração; em outros, ofendem os outros, são a favor do aborto... Sinceramente é confuso!

Queridos, não há meio termo! Ou somos de Deus e vivemos a nossa fé ou seremos instrumentos do inimigo! É a realidade! Não dá para sermos umas pessoas. Ou o Espírito Santo habita em nós ou não!

E Ele só habitará em nós se seguirmos os ensinamentos que Deus nos deixou; se estivermos livres das amarras do pecado! Jesus não habita um coração sujo, encardido, cheio de poeira. É por isso que quando caímos em pecado, devemos buscar rapidamente o caminho da confissão; do reencontro com Deus. Somente assim, estaremos mais uma vez aptos a receber Jesus em nós.

Ah... E como é doce e fortificante receber JESUS na Sagrada Eucaristia... É a visita mais sublime que podemos receber... Sermos fortificados pelo Seu Amor...

Cuidado com a fé que você tem professado. Não adianta passar horas na Igreja e ao sair de lá ir para um beco de dar um amasso na sua namorada! Somos chamados à Santidade! (Escreverei em breve sobre isso). 

Ou se é, ou não de Deus!!! E não sou eu quem vos digo:

                   “Conheço as suas obras, sei que você não é frio nem quente. Melhor seria que você fosse frio ou quente! Assim, porque você é morno, nem frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca.” 

Apocalipse 3:15-16 


Chegou a hora da decisão.
A quem você quer servir?


Amém!

Fernanda Rocha

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Por que Jesus se “esconde” na Eucaristia?


Muitos ficam angustiados, porque Jesus esconde a Sua glória na Eucaristia, mas Ele precisa fazer isso para que o brilho de Sua majestade, como o rosto brilhante de Moisés, não ofusque a nossa vista, impedindo-nos de chegar a Ele.

Ele esconde também as Suas virtudes, porque, se a víssemos, ficaríamos humilhados e, quem sabe, desesperados por jamais poder atingir tal perfeição. Tudo para podermos nos achegar a Ele sem medo.

Jesus desce até o nada, na hóstia consagrada, para que desçamos com Ele e sintamos profundamente o que Ele disse: “Vinde a mim. Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração”.

Por isso, podemos chegar a Jesus com toda confiança, porque Ele já retirou todos os obstáculos para chegarmos a Ele; e espera que não sejamos nós a colocar esses empecilhos com os nossos medos e escrúpulos.

Jesus nos ama tão radicalmente, na Eucaristia, que se submete a nós em tudo. Ele desce do Céu tão logo o sacerdote pronuncia as palavras da consagração. Ele obedeceu silencioso aos Seus carrascos e está pronto novamente para receber o beijo dos novos Judas por amor a nós.
Na Eucaristia, perpetua-se a Paixão do Senhor. Ali, Ele a vê renovada diariamente. Muitas vezes, Ele é traído pela apostasia, crucificado pelo vício, flagelado pelas ingratidões e pecados; e, muitas vezes, Jesus renova o Seu Calvário nos corações que O recebem em pecado mortal ou com indiferença.

Escondido no sacrário, Ele continua a dar combate ao velho orgulho com as armas da humildade. O sacrário é a nossa escola. Dali, Jesus nos diz: “Aprendei a esconder as suas boas obras, as suas virtudes e sofrimentos como eu”. O Rei da Glória se rebaixa ao mais baixo grau da humildade para deixar-nos o Seu exemplo.

Este estado humilde e escondido de Jesus anima a nossa fraqueza, dá-nos coragem de falar-Lhe sem receio e contemplá-Lo. Se nem mesmo conseguimos olhar para o sol do meio-dia, quanto mais poderíamos contemplar a Glória do Rei do Universo! "Deus é um fogo consumidor", disse Moisés. Não é possível contemplar Sua glória e continuar vivo. A nossa natureza humana não está preparada para vê-la. Os apóstolos não puderam suportar o brilho de apenas um raio de Sua glória na transfiguração do Monte Tabor. E tem mais, não foi o Tabor que converteu o mundo, foi o Calvário. O amor se manifesta e opera não pela glória, mas na bondade e humildade.

O véu eucarístico foi colocado também para fortalecer a nossa fé. Crer no Senhor, ali presente, é um ato do espírito desprendido dos sentidos.

O escondimento de Jesus sob o véu eucarístico é um bom incentivo para penetrarmos na Verdade escondida e descobrir os tesouros ali escondidos. Assim, neste exercício espiritual, dilatam-se os desejos de nossa alma, os quais vão descobrindo, sem se cansar, uma beleza sempre antiga e sempre nova. E Jesus vai se manifestando gradualmente à nossa alma, na medida da nossa fé e do amor para com Ele.

A Eucaristia é um verdadeiro Céu escondido, um Céu Eucarístico.

Ao subir ao Céu na Ascensão, Jesus tomou posse de Sua glória e foi preparar-nos um lugar. Mas para nos ajudar a esperar com paciência e perseverança o Céu da glória, Ele deixou entre nós esse Céu antecipado. Ora, o Céu é onde está Deus, e Ele está na Eucaristia; com Ele todos os anjos e santos. Assim, Ele baixou o Céu à Terra. Ao comungar, recebemos não só Jesus na alma, mas também o Reino de Deus. Somos os súditos que têm a honra de hospedar Sua Majestade e toda a Sua corte.

O amor se manifesta em bondade e humilhação, escondendo-se, aniquilando-se; rejeita a glória e os aplausos, oculta-se e desce. Assim fez Jesus ao encarnar-se; assim Ele fez na gruta de Belém, no silêncio de Nazaré, na tentação do deserto, no Calvário; e, por fim, na Eucaristia.

Na verdade, o Sacrário é um novo Tabor, no qual Jesus se transfigura, não diante dos olhos do corpo, mas aos olhos da fé. Nesta montanha, não devemos procurar a felicidade sensível, mas as lições de santidade que Ele nos dá pelo seu aniquilamento.


Foto

Felipe Aquino
felipeaquino@cancaonova.com
Prof. Felipe Aquino @pfelipeaquino, é casado, 5 filhos, doutor em Física pela UNESP. É membro do Conselho Diretor da Fundação João Paulo II. Participa de aprofundamentos no país e no exterior, escreveu mais de 60 livros e apresenta dois programas semanais na TV Canção Nova: "Escola da Fé" e "Pergunte e Responderemos". Saiba mais em Blog do Professor Felipe Site do autor: www.cleofas.com.br